TSE julga no próximo dia oito recurso para definir cassação de Daniel da Açaí

Prefeito de São Mateus foi cassado por abuso de poder econômico em 2017, mas até hoje se mantém no cargo

A ministra do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Rosa Weber, marcou para a próxima terça-feira (8) a apreciação do recurso para decidir, em última instância, a cassação do prefeito de São Mateus, Daniel Santana Barbosa (PSDB), o Daniel da Açaí, formalizada em 2017. O ato foi suspenso em 2018 por decisão do presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Estado (TRE-ES), Annibal de Rezende Lima, que acolheu recurso da defesa, mantendo-o no cargo até a manifestação do TSE.

O recurso impetrado no TSE era para ser apreciado em dezembro de 2018, 11 meses depois de Daniel da Açaí ter o mandato cassado pelo Tribunal Regional Eleitoral do Espírito Santo (TRE-ES).  O atraso no julgamento do caso provocou críticas à morosidade da Justiça, como a do deputado estadual  Enivaldo dos Anjos (PSD).

Em pronunciamento na Assembleia Legislativa, no dia 24 de setembro desse ano, Enivaldo cobrou da ministra Rosa Weber que colocasse na pauta de julgamentos do plenário do TSE o processo de cassação do prefeito. 

“Enquanto o TSE mantém na gaveta esse processo de Daniel, que nem deveria estar lá, porque a própria ministra não conheceu o recurso que chegou a ela, a população de São Mateus sofre com a incompetência desse prefeito, que só quer fazer festa com seus próprios trios elétricos e sua sonorização, dilapidando o erário do município. É necessário que o TSE olhe para São Mateus, antes que os danos causados por esse prefeito levem 20 anos para serem sanados”, disse Enivaldo.

O parlamentar salientou que na gestão de Daniel o município de São Mateus tornou-se a terceira cidade mais violenta do Espírito Santo, apesar de ter apenas 130 mil habitantes, e a mais violenta do interior, com 54,9 homicídios por 100 mil habitantes. 

“A ministra Rosa Weber precisa ouvir esse grito de desespero da população de São Mateus e acabar logo com essa tragédia que se abate sobre a cidade”, disse Enivaldo, que enviou ofício à ministra, presidente do TSE, pedindo que paute o julgamento do processo de Daniel da Açaí.  

O afastamento foi por abuso de poder econômico. Daniel distribuiu água de sua fonte de água mineral durante o período de estiagem de São Mateus, o que o Ministério Público Eleitoral comprovou ter sido usado para compra de voto, com o que o juiz eleitoral Leandro Cunha concordou, afastando o prefeito. 

O processo está há nove meses parado, depois que Daniel contratou os serviços do escritório de advocacia de Henrique Neves, ex-ministro do próprio TSE.
 

Leia Também:

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
1 Comentários
  • EDSON TEIXEIRA , terça, 08 de outubro de 2019

    Boa tarde fica Daniel da açaí foi quem ganhou as as eleições de 2016 democraticamente isso é armação dos vereadores que ser prefeito disputa as eleições de 2020 e ganhe democraticamente igualmente o mesmo #FicaDaniel #FicaDaniel #FicaDaniel

Matérias Relacionadas

Com dois votos favoráveis a Daniel da Açaí, julgamento é adiado no TSE

O prefeito de São Mateus foi cassado em 2017 por abuso de poder econômico; placar agora está 2 x 1

Processo de cassação de Daniel da Açaí chega à etapa final no TSE nesta quinta

Prefeito teve o mandato cassado em 2017, mas se mantém no cargo por meio de recursos judiciais

Ministro Fachin retarda voto e adia perda do mandato de Daniel da Açaí

Daniel da Açaí foi cassado em 2017, mas sucessivos recursos o mantém à frente da Prefeitura de São Mateus

Prefeito e vice de Castelo têm mandatos cassados e TSE determina novas eleições

Luiz Calos Piassi (foto) foi condenado por improbidade administrativa em ação civil pública