Sucessão de Audifax na Serra pode revelar surpresas em 2020

O prefeito Audifax Barcelos articula a sucessão de seu mandato e se prepara para concorrer ao governo

“Você é o meu candidato”. A frase virou uma espécie de jargão de um dos políticos mais hábeis no cenário atual, que a usa frequentemente para costurar articulações visando à sucessão no município da Serra, maior colégio eleitoral do Estado. Audifax Barcelos (Rede), o atual prefeito, tenta agradar a todos os correligionários desejosos de sucedê-lo no cargo nas eleições de 2020, mas guarda uma caixinha de surpresas.

Um desses nomes irá concorrer com o candidato do governo, sinalizado, até agora, no deputado estadual licenciado e secretário de Trabalho, Assistência e Desenvolvimento Social, Bruno Lamas (PSB).

O governador Renato Casagrande (PSB) tem o foco na sucessão da Serra, não só pelos 324,3 mil eleitores, mas principalmente porque Audifax deve concorrer com ele nas eleições ao governo em 2022. Como a reeleição ao governo passa pelas eleições municipais, ele não pode desgrudar-se dessas articulações.  

A primeira das surpresas a ser revelada por Audifax é o secretário de Serviços, Igor Elson de Almeida (Rede). Embora não conste na relação de nomes para os quais o jargão do prefeito é dirigido, começa a ser apontado como uma peça importante no processo sucessório. A outra é Jolhiomar Massariol Nascimento (Rede), coordenador municipal de Governo.

Audifax prestigia os dois e empreende esforços a fim de fazê-los crescer politicamente, sem, porém, perder o controle das articulações. Homens de confiança do prefeito, o acompanham na maioria das atividades públicas e realizam o trabalho de formiguinha, de casa em casa, juntamente com o prefeito.

Da lista dos nomes comentados nos bastidores como prováveis candidatos, o principal destaque fica com o secretário municipal de Defesa Social, Nylton Rodrigues (MDB), ex-secretário de Segurança na gestão Paulo Hartung, e o deputado estadual Bruno Lamas (PSB), sobre quem devem recair todas as fichas do governo do Estado.  

Nylton Rodrigues, apontado como um dos prováveis concorrentes à prefeitura com apoio do prefeito, teve, porém, o cacife para esse jogo reduzido. Coronel da PM reformado, foi contra a anistia dada aos policiais militares que participaram do movimento de 2017, quando ele era o comando da tropa.  

O mercado político exclui da lista de potenciais candidatos à Prefeitura da Serra o deputado federal mais votado o Estado, o apresentador de TV, Amaro Neto (PRB). Os rumores dão conta de que a “pretensão de Amaro seria para limpar o terreno” em Vitória, onde ele disputaria novamente a prefeitura, em 2020. Seria a oportunidade, agora com mais possibilidades, de assumir o cargo perdido por uma reduzida margem de votos para  atual prefeito, Luciano Rezende (PPS), em 2016.

Amaro faz parte de um novo grupo político, que integra o presidente da Assembleia Legislativa, Erick Musso, e outros nomes do PRB, como Roberto Carneiro, diretor-geral da Assembleia e articulador político, e que poderá ter, em breve, o próprio Audifax, visando garantir uma sigla para concorrer ao governo em 2022.

Os movimentos de outras lideranças da Serra, como o deputado estadual Vandinho Leite (PSDB) e o deputado federal Sérgio Vidigal (PDT), também são observados pelo mercado político do município, ainda sem sinalizar, no entanto, a confirmação de candidaturas em 2020.

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
2 Comentários
Matérias Relacionadas

Tribunal de Justiça cassa liminar e autoriza investigação contra Audifax

Se comprovadas as denúncias, o prefeito da Serra poderá perder o mandato