Feira Estadual da Reforma Agrária será realizada em novembro

Evento deve trazer 15 toneladas de produtos de assentamentos e acampamentos para Vitória

O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) anunciou a data da quarta edição da Feira da Reforma Agrária do Espírito Santo. Será entre os dias 7 e 9 de novembro na Praça Costa Pereira, Centro de Vitória, com a expectativa de trazer para a cidade cerca de 15 toneladas de produtos entre alimentos in natura e industrializados, artesanato, sementes, mudas de plantas e outras produções dos assentamentos e acampamentos de reforma agrária das sete regionais em que o movimento atua no Estado.

Além da feira de produtos, que também conta com participação de cooperativas da reforma agrária no Rio de Janeiro, Minas Gerais e São Paulo, o evento contará com uma programação cultural com artistas do campo e também aliados da cidade.


Foto: Divulgação

Adelson Lima, um dos coordenadores do movimento e da feira, explica que a Feira da Reforma Agrária é uma atividade que os camponeses constroem em diálogo direto com os consumidores urbanos, sem precisar passar por intermediários. “A feira torna-se um espaço para dialogar a partir da produção, ocupando a praça para expor e comercializar produtos, mas também a partir da música, da dança, da cultura. Os trabalhadores da cidade têm a oportunidade de conversar com quem produz, saber a origem e forma de produzir os alimentos. Buscamos disponibilizar uma produção saudável para a sociedade”.

O MST defende e estimula a prática da agroecologia nos espaços de reforma agrária, o que implica o não uso de agrotóxicos e também uma produção de forma socialmente justa e ecologicamente respeitosa com o meio ambiente. “As feiras têm sido um processo dos camponeses para apresentar à sociedade o resultado da luta pela reforma agrária. Para provar para a sociedade a função social que a terra precisa cumprir e que os camponeses ajudam a efetivar”, afirma Adelson.

O coordenador da feira aponta dificuldades para conseguir apoio do poder público para garantir as condições materiais e estruturais para realizar o evento, porém o movimento tem se organizado a partir de suas bases e apoiadores para viabilizar questões como deslocamento, alojamento e outras condições para os mais de 70 agricultores que devem atuar como feirantes.

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Matérias Relacionadas

Atos contra a intolerância religiosa no ES são realizados em Vitória e Serra 

No Brasil, representantes de 11 religiões convocam atos por Estado laico em várias cidades 

Moradores de Aracruz se mobilizam contra aumento da passagem de ônibus

Há um ano movimento vem se articulando em prol do transporte público e teme nova subida na tarifa

Atingidos capixabas participam de marcha nacional a Brumadinho

São seis dias de caminhada saindo de Belo Horizonte para denunciar um ano do crime socioambiental da Vale

Projeto realiza tour pela história negra de Vitória

Rota turística Vitória Preta realiza segunda edição no dia 25 de janeiro no Centro da cidade