Sugestão Netflix: Radiopetti

Filme faz parte do cinema paralelo indiano, movimento que mudou as atenções do público regional para o mundial

Já há algum tempo venho percebendo o aumento de filmes indianos no catálogo da Netflix. Algumas pessoas podem criar uma imagem negativa do cinema da Índia, devido às cenas toscas dos filmes de ação bollywoodianos facilmente encontradas na internet. Mas Radiopetti é diferente, porque faz parte do cinema paralelo indiano, um movimento internacionalista que mudou as atenções do público regional para o mundial. 

Diferente de Bollywood, em que os filmes são geralmente ambientados em Mumbai, este faz parte do cinema em língua tâmil, uma região no sul da Índia, próxima ao Sri Lanka. 

O filme não é recomendado para impacientes, a ação demora um pouco a se desenrolar. Arunachalam, o patriarca da família, solitário e negligenciado pelo filho egoísta, guarda com muito carinho um rádio antigo herdado do pai. Saravanan, o filho, se irrita com a música alta e quebra o aparelho, mesmo sabendo que Arunachalam sofre de deficiência auditiva. 

O velho entra numa crise depressiva e não consegue aliviar a angústia nem na companhia de Ashwin, o filho da vizinha. Os moradores percebem o abatimento de Arunachalam e um deles chega a presenteá-lo com um radinho de pilha, ainda assim, ele não consegue se livrar do saudosismo, da mania de acumulação e os destroços que o antigo rádio quebrado trazem seu pai à memória. 

A vida de Arunachalam passa por uma reviravolta, quando um estranho acontecimento deixa-o repentinamente feliz, causando por conseguinte o estranhamento dos locais. 

No período das férias escolares de sua neta, o filho Saranavan relega-a aos cuidados dos avós. Um acidente e um último desentendimento com o filho forçam Arunachalam a renegar o que até agora o fazia feliz. 

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para manter ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.