Sugestão Netflix: Diário de um Exorcista

O filme pode até ser relativamente criativo, mas a parte técnica é um desastre do início ao fim

Não tenho absoluta certeza, mas acho que este é o primeiro filme brasileiro pós-retomada a tratar exclusivamente sobre o exorcismo. A história é um filme dentro de outro filme. 

Dois cineastas recém-formados pedem ao padre Lucas para contar sua história de vida, ele a narra começando pela experiência traumática com seu pai, que de tão intensa, criou nele a vocação sacerdotal.

Já adulto, o padre Lucas vira aprendiz do famoso exorcista Pedro, que é assassinado pelo demônio no primeiro dia de estágio do novo aluno. A morte de seu mentor desestimula Lucas, que pensa em desistir, até ser dissuadido pelo irmão de Pedro, que também é exorcista. 

Tempos depois, o cunhado do padre Lucas procura-o para exorcizar o demônio do corpo de sua esposa. Ironicamente, o padre é o último da cidade a saber da possessão. Mesmo sendo muito conhecido, ele também não acredita em demônios, apesar de ser padre exorcista e tendo presenciado a morte de seu mentor. Na verdade, sua irmã é só uma isca para possuir o Padre Thomas, irmão de seu falecido tutor. 

O filme, baseado no livro Diário de um Exorcista, pode até ser relativamente criativo, mas a parte técnica é um desastre do início ao fim. Cenas desnecessárias, diálogos, atuações ridículas, efeitos especiais amadores e, piores ainda, são os erros teológicos que podem ser percebidos até mesmo pelos ignorantes no assunto. 

Só recomendo para quem estiver ciente de todos os defeitos e conseguir separar os pouquíssimos acertos dos erros grotescos, fora isso, merece ser levado a sério. 
 

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para manter ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.