Trabalhadores rejeitam propostas da Garoto/Nestlé

Empresa insiste em cortar benefícios conquistados e não avançar na participação de lucros e resultados

Os trabalhadores rejeitaram as propostas da Garoto/Nestlé e continuam firmes na luta pela manutenção de direitos adquiridos e no avanço da Participação nos Lucros e Resultados (PLR). Em audiência realizada nessa quinta-feira (19), com participação maciça dos trabalhadores, 85% dos presentes disseram não para as duas propostas feitas pela fábrica para os acordos coletivos do triênio 2019-2021.  

Em síntese, a multinacional quer eliminar as folgas do Carnaval e reduzir o acréscimo de férias e, no tocante à PLR, não quer aumentar o percentual de participação dos trabalhadores. 

“A Garoto fez a Nestlé crescer 7% em 2018 e 3% nesse primeiro trimestre de 2019. Está entre as maiores do grupo no mundo. Mas a empresa não quer resguardar os direitos dos trabalhadores e insiste em cortes e estagnação”, critica a presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Alimentação e Afins do Espírito Santo (Sindialimentação), Linda Morais. 

Já são quatro meses negociando os dois acordos coletivos: o de PLR e o socioeconômico, período em que cerca de 40 protestos foram organizados pelo sindicato, incluindo o de 16 de agosto, no aniversário de 90 anos da fábrica que é um dos símbolos do Espírito Santo. 

Agora, diante do resultado da assembleia, Linda ressalta estar claro que os trabalhadores não aceitam perder direitos devido a uma postura injusta e autoritária da multinacional. 

O sindicato já comunicou oficialmente à empresa sobre a rejeição das propostas. “Vamos aguardar se a Nestlé tem a capacidade de negociar ouvindo a pauta dos trabalhadores sem propor cortes”, diz a líder sindicalista. 

“Os trabalhadores clamam pra que ela atenda às reivindicações”, afirma a presidente do sindicato. “Os trabalhadores são o retrato da fábrica, e pra que esse retrato seja bonito e alegre, a categoria tem que estar bem financeiramente e se sentindo valorizada”, argumenta, lembrando que o aumento do poder de compra dos trabalhadores da Garoto “é bom pra todo mundo”. 

“Mantendo os cortes ela empobrece a categoria e não coloca a roda da economia girar. A Nestle tem que entender que quando se propõe a empobrecer a categoria, penaliza a economia capixaba como um todo”, contextualiza. 
 

Leia Também:

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
1 Comentários
  • Alexandre Rivelino Soares Alves , sábado, 21 de setembro de 2019

    Bom dia,eu gostaria de participar de um processo seletivo e depois sim vir a fazer parte do quadro de colaboradores da Empresa Nestlé,tenho experiência na área de operacional,sou operador de produção e fabricação auxiliar de produção e fabricação, operador de câmera fria,moro em Nilópolis RJ,meu email é aalves02@hotmail.com

Matérias Relacionadas

'Que os investimentos da Garoto tragam empregos de qualidade sem terceirização'

Linda Morais, do Sindialimentação, fala sobre a luta da categoria desde a compra da Garoto pela Nestlé

Coletivo busca mulheres que queiram recitar suas próprias poesias

Poetisas têm preferência no Slam Nísia, primeiro campeonato de poesia autoral protagonizado por elas

Nestlé insiste em não valorizar o trabalhador, afirma Sindialimentação

Na terceira rodada de negociações, multinacional tenta impor retrocessos em direitos conquistados

Trabalhadores da Garoto reconquistam na Justiça direito a cestas de Natal

Vitória do Sindialimentação/ES levou a empresa a estender o direito às demais unidades fabris do país