Suspense e crime no mundo das artes em livro de Francisco Grijó

Depois de 10 anos, escritor lança nesta quarta-feira um novo romance, o policial 'Fama Volat'

A ideia de escrever um livro não-ficcional sobre artes plásticas mudou quando Francisco Grijó leu a obra O Tubarão de 12 Milhões de Dólares: a curiosa economia da arte contemporânea, de Don Thompson, que revela o jogo de poder, dinheiro e marketing que envolve o mundo das artes.

De fato, Grijó não abandonou a ideia de abordar as artes, mas o fez por meio de uma ficção policial: Fama Volat (editora Cândida), seu oitavo livro, sendo o terceiro romance, que será lançado nesta quarta-feira (3), às 19h, na Biblioteca Pública Estadual, na Praia do Suá, em Vitória.

Retomando o tom policial de Histórias Curtas para Mariana M, seu último romance, lançado em 2009, resgata daquela obra um detetive fictício criado por um editor de livros, que passa a ser o protagonista da nova obra, um investigador da Polícia Civil, mais especificamente 5ª DP, localizada no Barro Vermelho, em Vitória.

Grijó fala do que conhece e a trama se desvenda pela cidade de Vitória, especialmente na região entorno da Praia do Canto e por vezes o Centro. "O investigador mora no prédio onde eu moro, caminha todo dia para a delegacia, passando pela Avenida Rio Branco, pela Rua da Grécia, mostrando a geografia da zona norte da cidade", conta Grijó, escritor, professor de literatura e atualmente exercendo o cargo de secretário de Cultura da capital capixaba.

O ponto de partida é um duplo homicídio ocorrido na Praia do Canto, com o assassinato de de um casal de mulheres, filhas de pessoas das elites capixabas. Uma delas uma bem sucedida marchand radicada em São Paulo, que intermedia a venda de obras de arte de grande valor. Uma jornalista investigativa, um grande empresário exportador de café, a dona de uma galeria e um grafiteiro em evidência no mundo das artes estão entre os personagens que aparecem pela trama, na qual o leitor está convidado a tentar entender junto ao investigador os mistérios do caso.

Uma pista leva a procurar saber sobre Fama Volat, uma organização secreta que operaria nesse mundo descrito na obra de Don Thompson, em que milionários compradores, vendedores, galeristas e artistas trocam obras de arte por milhões de dólares. Mito, lenda urbana ou realidade? Existiria mesmo tal sociedade secreta? E se existisse, faria algum sentido que tivesse relação com uma cidade pequena e aparentemente irrelevante para o mercado mundial das artes como Vitória? 

Numa trama que passa por Johann Sebastian Bach, Luís Buñuel e Al Capone, a capital capixaba pode ter também relações diretas ou indiretas com o mundo de dinheiro, poder e vaidade - elementos que juntos muitas vezes provocam crimes misteriosos - que circunda as grandes artes. 

"O final, nem eu mesmo esperava, veio no improviso. O texto foi levando para um caminho que pensei que tinha que ser esse o final, embora não fosse o programado quando comecei a escrever", revela Grijó.

AGENDA CULTURAL

Lançamento do livro Fama Volat, de Francisco Grijó

Quando: Quarta-feira (3/7), 19h

Onde: Biblioteca Pública Estadual - Avenida João Batista Parra, 165, Praia do Suá, Vitória.

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Matérias Relacionadas

A Piedade quer voltar a sorrir em paz

Acuada pela violência, comunidade teve um dia especial com apresentação artística nesse domingo

Em busca da Capitania Perdida

Liderado por Bernadette Lyra, grupo de artistas viaja para encontrar história esquecida do Espírito Santo

Rock in Doce fará tributo musical ao Rio Doce em Baixo Guandu

Coluna CulturArte: Dead Fish será atração de festival, edital da Secult, cinema brasileiro em cartaz

Com material reciclado, peça de bonecos alerta para preservação dos mares

Espetáculo 'Jubarte - Uma Aventura Oceânica' será apresentado no Cine Teatro Ribalta, em Jardim Camburi