Passado e futuro

Programa das escolas cívico-militares impulsiona artilharia de Manato contra Casagrande

O presidente do PSL no Estado, ex-deputado federal Carlos Manato, voltou nas eleições de 2018 para impulsionar sua artilharia contra o governo Renato Casagrande. Em vídeo publicado nas redes sociais nesta segunda-feira (7), tratou a decisão da gestão estadual de não aderir ao programa do governo Jair Bolsonaro de implantação das escolas cívico-militares como “retrocesso, absurdo, orgulho e esquerdismo”. Embora Casagrande e a própria Secretaria de Estado da Educação (Sedu) já tivessem deixado claro publicamente que o programa não faz parte do planejamento da pasta, Manato disse ter recebido com surpresa a renúncia confirmada nos últimos dias, quando se encerrou o prazo para adesões dos estados. O deputado, derrotado por Casagrande no pleito ao Palácio Anchieta, demorou a reagir, mas quis deixar seu recado. Segurando o plano de governo que apresentou ao Tribunal Regional Eleitoral (TER) no ano passado, fez questão de lembrar que esse modelo de escola fazia parte das prioridades de sua gestão e que o levou à equipe de transição do presidente, além de avisar: “O futuro a Deus pertence”. No comando do partido que ganhou tamanho e espaço devido à “onda Bolsonaro”, Manato desenha há meses as disputas de 2020 e 2022. Principal obstáculo a ser batido: grupo de Casagrande.

Dada a largada 
Em relação ao próximo ano, Manato jura que não é candidato, embora vez ou outra seu nome apareça na imprensa de fora como cotado pela Nacional. Já em 2022, estará mais do que no páreo para disputar os votos nas urnas, seja ao governo ou ao Senado. Vai depender das águas que rolarão até lá.

Prioridade
O presidente do PSL capixaba, ao fazer seu discurso, colocou Casagrande no mesmo bolo dos governadores do Maranhão e Rio Grande do Norte, a quem chamou de “esquerdopatas”, e criticou por ignorarem um programa com 80% de aprovação pela população. Ao todo 16 estados mais o Distrito Federal aderiram à proposta, que é o carro-chefe de Bolsonaro.

Gatos pingados
Não há como negar, porém, que o programa é pra lá de controverso. As prefeituras do Estado também estão na mesma pegada do governador. Cada município pode solicitar adesão, mas, por aqui, das 78 cidades, apenas três o fizeram por enquanto: Linhares, Montanha e Viana. Em Aracruz, citado por Manato e pelo próprio Ministério da Educação, a gestão de Jones Cavaglieri (SD) negou ter feito a solicitação.

Pelas beiradas
Como já dito aqui, o pedido foi obra do vereador Alcântaro Filho, diretamente para o deputado federal Evair de Melo (PP), que participou das conversas no MEC. Alcântaro está a um pé do PSL, depois de divergências com a Rede nas eleições passadas, quando apoiou fervorosamente a campanha de Bolsonaro, nos dois turnos. 

Disse-me-disse
O deputado Vandinho Leite (PSDB), que aliás também criticou a não adesão do governo ao programa na sessão desta segunda, levou à Tribuna Livre, no mesmo dia, a mãe de aluna da Escola Viva de São Pedro, Ivani Coelho Andrade, para desmentir o secretário de Estado de Educação, Vitor de Angelo, que na última semana afirmou em comissão da Casa que nunca houve sinalização para fechar a unidade.

Disse-me-disse II
Ivanir, que já tinha ido ao legislativo, relatou conversas que os pais tiveram com o coordenador de Educação em Tempo Integral da Sedu, Marcelo Martins, e com o próprio Vitor, o que resultou na criação de um movimento contra o fechamento, e falou da proposta de mudança de horário e de gratificação do governo. Sergio Majeski (PSB) interviu para saber detalhes oficiais, já que obteve outras respostas, e o debate rendeu. 

Dupla
O secretário especial do Ministério da Cidadania, Lelo Coimbra, e seu aliado Chico Donato, emplacaram mais uma juntos. Os dois foram eleitos suplentes de vogais na disputa do MDB nacional, realizada nesse domingo (6), e que colocou no comando do partido o deputado federal Baleia Rossi (SP). Por aqui, a dupla caminha lado a lado há tempos, à frente da executiva estadual.

‘Chefe’
Lelo rasgou elogios nas redes sociais ao novo presidente, mas o próprio ministro Osmar Terra, que acomodou Lelo após a derrota à reeleição à Câmara em 2018, não “coube” nos discursos da convenção, marcados por críticas à participação do partido no governo federal.

Representante
A campeã de votos na eleição para o Conselho Tutelar de Vitória, Livia Dias Pereira Muniz (822 votos), é obreira da Igreja Universal, do bispo Edir Macedo, da TV Record. A igreja convocou, em todo o País, seus fiéis a votarem em candidatos religiosos, consolidando a disputa ideológica para ocupar o espaço que deve zelar pelos direitos das crianças e dos adolescentes.

Mas já?
O professor Saint’Clair do Nascimento Jr., que integra os quadros do PSDB, foi exonerado do cargo em comissão de assessor especial Nível II, da Secretaria de Estado de Trabalho, Assistência e Desenvolvimento Social, comandada pelo deputado estadual licenciado Bruno Lamas (PSB).  Os dois atuam politicamente no município, onde Lamas é cotado para disputar a prefeitura em 2020. 

PENSAMENTO:
“Sei que metade da publicidade que faço é inútil. Mas não sei qual é a metade inútil”. Henry Fordc

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Matérias Relacionadas

Pote cheio

Depois de “comer o pão que o diabo amassou”, Casagrande não está mais disposto a engolir mantra de Hartung

Debandada esperada no PSL com saída de Bolsonaro pode deixar Manato isolado

O ex-deputado federal afirma que, independente do partido, estará ao lado do presidente

Conselho Estadual de Saúde analisa destinação do Plano Plurianual para o setor

Em caso de divergência ou proposição, conselheiros podem sugerir emenda à peça aos deputados

Tiros ao alvo

Após holofotes do fim de semana, Renato Casagrande volta à realidade: reações da PM e dos servidores