Novo pedido de intervenção em Cariacica é protocolado no governo e MPF

O vereador Professor Elinho vem denunciando o caos na saúde e os recorrentes problemas no PA do Trevo

Diante do estado de calamidade na saúde pública de Cariacica, o vereador Professor Elinho (PV) reuniu as diversas representações protocoladas por ele no Ministério Público e em órgãos de controle externo, como o Tribunal de Contas do Estado (TCE), em uma representação na qual solicita a intervenção na área da Saúde municipal. O documento foi protocolado na tarde desta terça-feira (14) na sede do governo do Estado, no Palácio da Fonte Grande, Centro de Vitória.

O ato contou com o apoio e a presença de representantes de movimentos sociais e entidades de classe da área, como o Sindisaúde-ES e o Sindicato dos Médicos do Espírito Santo (Simes). Após o protocolo do documento no governo estadual, uma cópia do mesmo também foi entregue na sede da Procuradoria Geral da República, no mesmo bairro, a fim de solicitar apoio do governo federal nesse processo de intervenção na saúde pública de Cariacica.

No documento, Elinho aponta diversos elementos que demonstram o sucateamento da rede de atenção primária, entre eles a precariedade das unidades básicas de saúde do município – médicos saem de férias e não são substituídos, faltam medicamentos e, ainda, os munícipes precisam enfrentar longas filas na madrugada em busca de fichas para atendimento. Além disso, também são relatados os frequentes fechamentos do Pronto Atendimento Monsenhor Romulo Neves Balestrero (PA do Trevo), que somente neste ano já fechou as portas da ala infantil por seis vezes, entre elas o último domingo, Dia das Mães.

Segundo pedido 

Este é o segundo pedido de intervenção na saúde de Cariacica. O Sindicato dos Médicos do Espírito Santo (Simes), em ofícios assinados por seu presidente, Otto Baptista, também pediu algum tipo de intervenção na saúde do município, comandada pelo prefeito Geraldo Luzia Júnior, o Juninho (PPS). Neste mês, seis pediatras pediram demissão do PA do Trevo, alegando falta de condições de trabalho. 

O documento foi protocolado no governo do Estado, endereçado ao próprio Renato Casagrande, ao secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes, e à Procuradoria Geral do Estado (PGE). Também na 1ª Promotoria Cível de Cariacica, em nome do procurador Christian Barreto Salcedo da Motta; no Conselho Regional de Medicina (CRM); na Câmara de Cariacica; na Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa e ao presidente da Casa, Erick Musso (PRB); e também na própria Secretaria de Saúde de Cariacica. 

No texto, representantes do Sindicato dos Médicos requerem “providências para que seja garantido o atendimento digno à população do município de Cariacica, que atualmente enfrenta um verdadeiro caos na saúde pública municipal, de forma a ferir a dignidade da pessoa humana dos pacientes que necessitam de atendimentos, bem como dos profissionais da saúde que atuam em más condições de trabalho, colocando em risco a boa prática da medicina e os preceitos éticos do exercício da profissão”.

Leia Também:

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Matérias Relacionadas

Projeto para criar fundação estatal da saúde será enviado à Assembleia neste mês

Sesa realiza treinamentos, mas há dúvida sobre salários dos servidores, que deverão ser menores

Agentes de saúde e de combate às endemias da Serra conquistam piso salarial

Depois de Vitória, gestão de Audifax também teve que se adequar a pagar o piso nacional

Equipe de Moro vem ao Estado, mas programa de combate à violência é incógnita

Excluída das reuniões oficiais, movimento social criou comissão popular para acompanhar ações

Famoc completa 33 anos de luta em Cariacica

Dauri Correia, presidente da entidade que reúne 42 associações de moradores, critica gestão de Juninho