Nas lentes de Rogério Medeiros, uma viagem pelo Espírito Santo profundo

Exposição traz imagens de povos e comunidades tradicionais que resistem a um modelo econômico destrutivo

Uma viagem ao Espírito Santo profundo, onde as populações e culturais tradicionais sobrevivem e resistem ao grandes projetos industriais que entram sem pedir licença. Quem dá a "carona" para esse interessante passeio em preto e branco são as lentes e o olhar de Rogério Medeiros, um dos grandes expoentes do fotojornalismo no Espírito Santo. A Mosaico Fotogaleria, na Mata da Praia, em Vitória, inaugurou a exposição Rogério Medeiros, fotógrafo.

São 50 anos de trabalho como fotógrafo e uma trajetória de andarilho de norte a sul do Estado onde nasceu. "É um acervo que junta um material que no fim das contas ninguém mais tem. Há exclusividade e a profundidade com que ele se lançou nas histórias, privilegiando as culturas que sofreram impactos de uma lógica econômica que se instala no Espírito Santo", explica Bruno Zorzal, um dos curadores da exposição. São quilombolas, indígenas, pomeranos, camponeses, e outros que guardam riquezas e práticas culturais muitas vezes invisíveis à cegueira do progresso. Oprimidos, mas não vencidos.

 

A fotografia registra momentos e locais e nos convida para um novo olhar. Apesar de a vida das pessoas e as paisagens que compõem o território capixaba se transformem continuamente com o tempo, elas podem ser capturadas, congeladas e eternizadas num click. E assim valer mais que mil palavras, como diz a frase que já virou clichê.

Mas Rogério não é apenas um profissional que observa de fora ou à distância os fatos, é também um amigo, companheiro, um homem respeitado por muitas destas comunidades, visto como um ancião para os indígenas, sendo "vassalo" da festa do Ticumbi dos negros, servindo como ponte para um diálogo entre negros e brancos em épocas em que o preconceito ainda exigia pedir permissão das autoridades para brincar suas festas tradicionais.

Seria impossível obter registros tão íntimos, particulares de certos rincões ou comunidades sem um processo de aproximação, cuidadoso, sensível, demorado, de respeito mútuo. Não o olhar de quem vê as comunidades como objeto mas de quem acredita nelas, busca conviver, entender suas crenças, formas de vida, lutas de resistência, que foram registradas não só pelas lentes mas também por suas reportagens e ao longo de sua coerente luta política junto a essas comunidades.

O trabalho de curadoria da extensa obra fotográfica para chegar ao resultado da exposição Rogério Medeiros, fotógrafo foi feito em conjunto por Bruno Zorzal, Apoena Medeiros e Gabriel Lordêllo. A partir de uma pesquisa que já leva alguns anos, selecionaram 20 fotografias, todas em preto e branco e em distintos tamanhos, tiradas de modo analógico.

Na exposição há três tipos de fotografias. As cópias originais impressas na época em que foram tiradas, no que hoje se chamaria "vintage", cópias digitais mais recentes feitas para outros projetos, e cópias feitas especialmente para a ocasião usando tecnologias modernas de impressão.

Algumas já participaram de exposições fotográficas ou ilustraram reportagens de Rogério e até capa de livro, outras permaneciam inéditas até então.

Para Bruno, a exposição é uma oportunidade de ter contato com uma produção que é única e permite se inspirar e aprender sobre essa diversidade cultural que compõe o Espírito Santo. Ele destaca a fotografia de Rogério Medeiros por seu aspecto humanista, colocando o ser humano no centro da história, e também por construir uma estética própria ao longo dos 50 anos de carreira. "São imagens que conseguem ser ao mesmo tempo belas e profundas, não é só foto bonita, há muita história nelas".

Essa é a primeira de uma série de exposições que os curadores pretendem fazer para apresentar ao público parte das histórias contadas por Rogério utilizando a fotografia como meio. Aos 83 anos, Rogério Medeiros estará presente na inauguração, mas não faz ideia de quais de suas fotos constarão na mostra. "Só vou saber na hora", diz.

AGENDA CULTURAL

Exposição “Rogério Medeiros, fotógrafo”

Quando: Visitação de 28/6 a 9/8, de segunda a sexta-feira, das 10h às 18h. Aos sábados mediante agendamento.

Onde: Mosaico Fotogaleria - Rua Aristóbulo Barbosa Leão, 500, lj 18, Shopping Victoria Mall, Mata da Praia, Vitória-ES.

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Matérias Relacionadas

Bordados contam lendas indígenas na exposição Espelhos da Lua

Após imersão na Amazônia, artista plástica Gleciara Ramos expõe 130 tecidos na Galeria Virgínia Tamanini

Nova exposição de Caio Cruz aborda gordofobia

Com dez pinturas, "Gordofóbica" estreia no sábado no Centro Cultural Eliziário Rangel, na Serra

Só para garotas: arte, feminismo e solidariedade no BlasFemme

Evento beneficente acontece em Jardim da Penha unindo tatuagem, literatura, ilustração e outras linguagens

Festival Pocar terá quase 40 atrações culturais em Conceição da Barra

Cultura popular, teatro, rap, forró e circuito gastronômico estão na programação de 24 a 28 deste mês