Euclério Sampaio quer impedir evento político e acadêmico na Ufes

Atividades sobre mídia e soberania dos povos em Cuba e Venezuela acontecem em Vitória

Depois de discursar em plenário, o deputado estadual Euclério Sampaio (DC) afirmou que buscaria no Ministério Público Federal (MPF) formas de proibir a realização de um evento que discute a soberania dos povos na Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes). A atividade acontece nesta sexta (12) e sábado (13) no auditório do IC-2, no campus de Goiabeiras, em Vitória, contando com representantes diplomáticos, acadêmicos e integrantes de movimentos sociais.

O evento unificado reúne três encontros simultâneos: a 3ª Convenção Estadual de Solidariedade com Cuba, o 2º Encontro Estadual de Blogueiros e Ativistas Digitais e o 1º  Encontro Capixaba pela Paz e Autodeterminação do Povo Venezuelano.

O deputado considerou o ato como "apoio a ditaduras" e afirmou que não deveria acontecer numa entidade de ensino. Euclério parece tentar surfar na onda do anti-esquerdismo e do "Escola Sem Partido", desconhecendo o caráter plural e aberto e a autonomia da universidade pública, ainda mais diante de debates políticos e acadêmicos e de diálogos com países com os quais o Brasil sempre manteve relações diplomáticas normais há muito tempo.

Até o momento não há indícios que o evento possa realmente vir a ser proibido, mas os organizadores estão tomando providências junto à Ufes e à Defensoria Pública para se resguardar, temendo também que a atitude do deputado contribua para insuflar a "trupe olavista capixaba".

Entre as atividades previstas estão o lançamento de dois livros, O ultra imperialismo americano e a antropofagia matriarcal da literatura brasileira: o triunfo do realismo em Pagu, Oswald de Andrade e José Agripino de Paulo, de Luis Eustáquio Soares, professor do departamento de Línguas e Letras da Ufes, e Enseñanza de lengua española en una practica sociocultural a través de canciones, fruto da tese de doutorado de Glaucia Lima.

Além dos autores do livro, estão entre os convidados Altamiro Borges, jornalista e presidente do Centro de Estudos de Mídia Alternativa Barão de Itararé; Antonio Mata Salas, cônsul para Assuntos de Comunicação do Consulado de Cuba em São Paulo; Edgar Alberto González Marín, cônsul geral da República Bolivariana da Venezuela no Rio de Janeiro; Freddy Efraín Meregote Flores, encarregado de Negócios da Embaixada da República Bolivariana da Venezuela no Brasil; e Marina dos Santos, membro da coordenação nacional do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e da Via Campesina.

As atividades acontecem de 17h às 22h na sexta-feira e de 9h às 13h no sábado.

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
1 Comentários
  • Welington Barros , sexta, 12 de abril de 2019

    Lamentável, entretanto não passa de bravata desse deputado oportunista, que quer surfar na onda conservadora e no obscurantismo no qual estamos vivendo, propagando o ódio a esquerda.

Matérias Relacionadas

O que pensam os manifestantes do 30M?

Pesquisa da Ufes mostra quem são e quais as opiniões dos que foram às ruas contra cortes na Educação

Congresso Nacional negocia liberação de R$ 2,5 bilhões para educação federal

Espírito Santo já tem disponível R$ 7 milhões para a Ufes e R$ 6 milhões para o Ifes

Teia de interesses

Puxado por Euclério, Assembleia vira festival em defesa de prefeitos. Todo mundo atrás de garantir o seu

Ufes participa de pesquisa nacional sobre cuidados à pessoa com deficiência

O objetivo é analisar e participar do processo de implantação da Rede de Cuidados à Pessoa com Deficiência