Depois de encontro histórico, Igreja e movimentos sociais criam fórum permanente

Primeiro passo de atividades conjuntas será a organização do Grito dos Excluídos em setembro

Foram cerca de 500 pessoas de diversos movimentos sociais que participaram do encontro Igreja e Sociedade em Ação, no último sábado (27). Agora, o objetivo é manter um fórum permanente de diálogo, que terá como uma das primeiras atividades uma plenária no próximo dia 8 de agosto, às 19h, no auditório do Colégio Agostiniano, no Parque Moscoso, Centro de Vitória. O objetivo é a construção do Grito dos Excluídos, marcha que acontece há 25 anos na data de 7 de setembro.


Maria da Luz Fernandes/Arquidiocese de Vitória

O encontro do último sábado, que contou com presença do arcebispo de Vitória, Dom Dario Campos, foi considerado um divisor de águas para esta relação entre Igreja Católica e movimentos sociais, segundo o Padre Kelder Brandão, do Vicariato para Ação Social, Política e Ecumênica da ArquIdiocese de Vitória.

"Fortaleceu vínculos históricos, que foram construídos a partir da década de 70. Chamou a atenção o espírito de alegria dos participantes, uma vibração muito grande e positiva com essa retomada da proximidade da Igreja com os movimentos. Estamos vivendo um tempo muito duro de descrença e desânimo e com as instituições sem direcionamento. É importante poder se reunir para decidir a melhor forma de se juntar para enfrentar esse momento", afirmou o padre.

Militante do movimento negro e dos direitos humanos, Lula Rocha, do Círculo Palmarino, participou do encontro e também considerou relevante a reconexão e perspectiva de ações conjuntas diante da conjuntura adversa. Ele levanta como questões que ganharam destaque no debate a violência no Espírito santo, com destaque para a ação da Força Nacional em Cariacica e os conflitos territoriais em comunidades periféricas, a questão ambiental, a retirada de direitos com a reforma da Previdência, entre outros.


Maria da Luz Fernandes/Arquidiocese de Vitória

A coordenação do Fórum Igreja e Sociedade em Ação está composta provisoriamente por 12 representantes de segmentos sociais como movimento negro, sindical, direitos humanos, mulheres, camponeses e atingidos por barragens. Além das reuniões de coordenação, devem acontecer plenárias periódicas abertas a todos movimentos, como a de 8 de agosto.

Neste ano, o Grito dos Excluídos trará como tema "A vida em primeiro Lugar - Este sistema não vale: lutamos por justiça, direitos e liberdade", denunciando os crimes ambientais e sociais existentes e aprofundados pela política agressiva do governo federal em relação ao seres humanos, à natureza e à vida em geral.

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Matérias Relacionadas

Pressão do empresariado retira de pauta votação do IPTU Progressivo em Vitória

Projeto de Roberto Martins regulamenta cobrança, que serve para evitar que imóveis sejam mantidos vazios

Evento une academia e movimentos sociais para discutir desafios para o campo

A Jornada Universitária em Defesa da Reforma Agrária (Jura) acontece nos dias 19 e 20 na Ufes

Fórum lança cartilha com orientações sobre abordagem policial em Cariacica

Ação quer evitar violações e abuso de autoridade com a presença da Tropa Nacional na cidade

Movimento negro quer Espírito Santo como exemplo no combate ao racismo

Entidades protolocaram notícia-crime pedindo denúncia do MPF em caso de racismo contra professor da Ufes