Área sensível

Puxadas por Bahiense, com adesão de aliados, pautas-bomba da segurança rendem munição eleitoral de sobra

As pautas-bomba da Segurança Pública no Estado, um dos principais calos no sapato do governo há anos, têm sido tema constante de debate na Assembleia Legislativa e fora dela, por meio da comissão permanente destinada ao setor, que é praticamente dominada pela bancada do PSL na Casa - Danilo Bahiense, presidente; coronel Alexandre Quintinho, vice; e Capitão Assumção um dos membros efetivos, ficando de fora apenas Torino Marques. Além de um problema grave e de forte apelo popular, portanto, com potencial de render bônus político a quem consegue emplaca-lo de fato como bandeira, a comissão definiu como estratégia realizar audiências em municípios da Grande Vitória e interior. Já esteve em Vila Velha, Fundão, Linhares, Aracruz, Cachoeiro e Colatina, reunindo sempre muita reclamação, relatos de abandono, medo e caos. Figurinhas repetidas nesses debates externos: o presidente Bahiense, obviamente, e Assumção, e ainda o delegado Lorenzo Pazolini (sem partido, mas colado no PSL). Os três são da área, mexem com vários outros vespeiros (demandas das polícias, Estado Presente, assassinatos, etc. e tal) e vêm a integrar, também, o bloco de oposição ao governador Renato Casagrande na Assembleia. Se permanecerem nessa pegada, não faltará munição para tentar acertar a gestão estadual e, por outro lado, sobrará terreno para delimitar campo eleitoral. A começar pela disputa do próximo ano, que serve de degrau para a sucessão palaciana em 2022. 

Escolhido a dedo
Bahiense, como se sabe, foi lançado pré-candidato a prefeito de Vila Velha. Não por acaso, a comissão passou logo pelo município e, certamente, deverá voltar.

Lista extensa
O presidente do colegiado diz que todas as demandas farão parte de um relatório que será entregue a Casagrande, cobrando providências. Ele também tem feito indicações na área, porém, ainda sem efeito.

Tropa
Por falar no PSL, o partido do presidente Jair Bolsonaro realiza uma campanha de filiação em todo o País no próximo dia 17. Por aqui, o ex-deputado federal Carlos Manato, comandante do partido, já espalha vídeo nas redes sociais convocando para o ato, que será às 9 horas, no estacionamento do Bob’s Praia do Canto, em Vitória. 

Tropa II
A “onda Bolsonaro” tornou o PSL, antes nanico, na legenda que mais cresceu neste ano. Levantamento divulgado pela Folha de S.Paulo aponta 31,2 mil novas filiações somente de janeiro a abril, nos diversos estados. O que não falta é gente querendo aproveitar o “drop do surf”, de olho em 2020.

30 mil/mês
Mais um projeto aprovado no pacote Assembleia-Ministério Público (MPES) “a toque de caixa” foi sancionado pelo governador nesta quinta. Também polêmico: institui R$ 1 mil por mês para cada um dos 30 deputados destinar a um de seus servidores, a título de gratificação. O presidente Erick Musso (PRB), assim como faz o procurador-geral de Justiça Eder Pontes ao defender a criação dos 307 cargos comissionados, alega que a medida resultará em economia. Nenhum dos dois convence. 

Cargos públicos
Aliás, a Juntos SOS ES Ambiental reforçou o coro de apoio da sociedade civil organizada ao deputado estadual Sergio Majeski (PSB), acusado de quebra de decoro pelo comando do MPES. “A exemplo dos poderes legislativo, executivo e Judiciário, o Ministério Público está sujeito a críticas e questionamentos a respeito da conduta de seus integrantes, bem como a investigações por parte dos parlamentares”. 

Inaceitável 
A Juntos SOS lembra que no “Estado de direito governam as leis, não os homens” e que no exercício dos mandatos os deputados são “invioláveis por suas opiniões, palavras e votos”. A entidade vê com preocupação os ataques a Majeski e destaca que “numa democracia não se deve tolerar tentativas de constranger ou calar parlamentares”. Não mesmo!

Negociações
Não foi só na Serra que os vereadores e o prefeito Audifax Barcelos (Rede) “fumaram o cachimbo da paz” depois de meses de uma guerra política que parecia não ter fim. As demais câmaras que entraram uma atrás da outra em rota de colisão com seus respectivos executivos também parecem ter mergulhado em calmaria profunda. E aquele tanto de CPI, acusações trocadas na imprensa, etc. e tal? Mesa de negociação de 2020, pelo visto, funcionou.

‘Coração de mãe’
O ex-deputado estadual e ex-vereador Esmael Almeida (PSD), derrotado nas eleições de 2018 à Assembleia, recebeu acomodação no governo do Estado. Ato publicado no Diário Oficial informa a nomeação como assessor especial III do Instituto de Obras Públicas (Iopes). 

PENSAMENTO:
“Os acontecimentos políticos humilham e desabonam mais a sabedoria humana que quaisquer outros eventos deste mundo”. Marquês de Maricá

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Matérias Relacionadas

Ato pedirá justiça no caso de irmãos executados em assentamento

Luiz Carlos e Antônio Raiz foram executados em Pedro Canário por policiais, que alegaram legítima defesa

Pacote Anticrime de Moro pode legalizar execuções policiais, alerta advogada

Lorraine Carvalho, do Ibccrim, esteve no Espírito Santo para debate sobre o tema com movimento negro

'Temos que partir do pressuposto de que todos ativistas estão grampeados'

Thiago Fibrida, da Artigo 19, veio a Vitória falar sobre segurança da informação para movimentos sociais

Território Bolsonaro

PSL inicia missão para o futuro. Na vitrine local, saem na frente Danilo Bahiense e Capitão Assumção