Um golpe sem perdão

​​​​​​​O governo trabalha para destruir a seguridade social  

O que falta dizer sobre a reforma da previdência pregada pelo governo Bolsonaro é que, somada à já realizada reforma trabalhista, ela erode o caixa do INSS e prepara o terreno para transferir o trilionário bolão da Previdência para o “trade” financeiro privado. É um golpe que vai destruir o sistema de Seguridade Social ancorado pelo INSS.   
 
É notório que a erosão da base previdenciária começou em 2015, com o aumento do número de desempregados, que subiu de 5 milhões para 13 milhões de pessoas. Além disso, com a aplicação de novas normas na contratação de trabalhadores a partir da vigência da reforma trabalhista em novembro de 2017, naturalmente caiu a arrecadação previdenciária. Esses oito milhões de demitidos deixaram de recolher dinheiro para o INSS. 
 
Um levantamento feito pela Unicamp com base em dados do IBGE e do Dieese mostra que nesse período caiu em 2% o número de contribuintes do INSS. Reflexo da estagnação/recessão que desde 2015 rejeita trabalhadores maduros e não absorve a juventude emergente dos cursos de formação de recursos humanos.
 
No entanto, os brasileiros parecem conformados com uma situação que, além de 13 milhões de desempregados, mantém 26 milhões de pessoas na condição definida pelo IBGE como “desalentados” ou, seja, deixaram de procurar emprego por ter perdido a esperança de conseguir trabalho ou já não possuir sequer o trocado para o transporte e o lanche.
 
Enquanto a massa de desempregados não recolhe INSS, deixando também de receber depósitos nas contas do FGTS, aumenta não somente a pobreza, mas a desigualdade e, com ambas, os problemas de saúde que mantêm as pessoas em casa ou em postos de saúde e hospitais.

Um dos sinais mais tristes da crise são os carentes que estacionam nas proximidades dos supermercados e das agências bancárias: eles pedem ajuda aos clientes, não aos bancos, que nunca tiveram lucros tão grandes.  
 
Como se o sistema econômico já não fosse suficientemente injusto, o que está se armando com a reforma previdenciária é uma sacanagem sem igual na História do Brasil.
 
Um crime consciente e deliberado contra as pessoas que mais precisam de amparo.  
 
LEMBRETE DE OCASIÃO

“A crise se aprofunda com a redução da capacidade de consumo das famílias e a redução dos investimentos públicos e privados.”
(Trecho de artigo publicado no Brasil Debate pelos economistas da Unicamp Ana Luíza Matos de Oliveira, Barara Vallejos Vazquez e Euzebio Jorge Silveira de Sousa).
 

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para manter ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.